A recuperação da função renal é fundamental para muitos pacientes com câncer. Por isso, especializado em casos oncológicos pediátricos de alta complexidade, o Hospital do GRAACC tem mantido os atendimentos mesmo em tempos de pandemia. Para tanto, cumpre  protocolos rígidos para a segurança dos pacientes, acompanhantes e colaboradores.

O tratamento do câncer não pode ser interrompido e nem adiado. Casos graves, que chegam à UTI, podem ter os rins prejudicados tanto pelo câncer, quanto por infecções. Assim sendo, estes pacientes precisam fazer hemodiálise para filtrar toxinas.  Além disso, há a filtragem de outras substâncias, como os mediadores inflamatórios, que são liberadas no processo inflamatório para recuperar a função renal.

Para estes casos específicos, o GRAACC é um dos poucos hospitais pediátricos do país que dispõe de equipamentos de última geração.  Tais aparelhos possuem autonomia de filtragem do sangue de 72 horas, utilizando o mesmo filtro.

“O fato de nossa UTI ser especializada em pacientes oncológicos, possibilita controlarmos as complicações com mais rapidez. Nos casos de infecção muito grave utilizamos o equipamento até a recuperação da função renal. Em alguns casos esse processo pode levar diversos dias. Pela instabilidade dos pacientes graves, não conseguiríamos isso nas máquinas convencionais”, explica a Dra. Dafne Cardoso Bourguignon da Silva, intensivista pediátrica coordenadora da UTI do Hospital do GRAACC.

 


Compartilhe:

Conheça a Júlia, ex-paciente do GRAACC

Veja o depoimento da Júlia, nossa ex-paciente que aos 2 anos de curou de um...

I Webinar Científico GRAACC

Vamos abordar como a doença ocorre e a resposta do organismo ao novo vírus, além...